sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Natal: frutas frescas para assistir os dias que virão


O aroma floral de nectarina, o sabor cítrico-doce da lichia quando se dissolve na boca e do gostoso “ploc” do talo quando se desprende da cereja madura. Isso é Natal para mim, pois essas frutas que adoro só aparecem no final do ano. E tem que ter comida e musiquinha Jingle Bell para eu apreciar as cenas que virão. Por um mês, eu sou telespectadora da transformação radical da sociedade em função de uma data. E me divirto com isso porque sou muito boba.


Acho engraçado os Papais Noel na porta das lojas fazendo “Ho, ho,ho” e outros distribuídos pelos shoppings e supermercados, prontos para ouvir os pedidos e tirar uma foto com as crianças e poucos adultos, como eu.


Alguns, com uma cara de palhaço assassino, dão medo. Outros, com uma falsa barba que dá uma vontade quase-incontrolável de puxar. Mas, quando encontro um com cara de bom velhinho, não resisto, até arrisco fazer um pedido. “Papai Noel, neste ano eu me comportei e quero ganhar bastante dinheiro!”. O pobre Papai Noel de Supermercado se espantou com uma jovem do meu tamanho, largar o carrinho de compras e ir correndo em sua direção fazer tal pedido com tamanha cara de pau. “Para todos nós, minha filha! Para todos nós! Ho, ho, ho,ho, ho”.


Uma vez não resisti, vi um cara vestido de comprimido na porta de uma farmácia fazendo propaganda da loja. Ao passar por ele perguntei “Você é um anticoncepcional ou um Viagra?”. Ele ficou tão assustado com a possibilidade de ser qualquer um dos dois que ficou sem fala. Limitou-se balançar veementes os braços (para cima e para baixo, visto que não era possível dobrá-los) para negar qualquer das possibilidades enquanto eu seguia meu caminho.


Natal para mim tem que ter marotice de criança, Natal de adulto é muito chato. Uma vez um amigo estava trabalhando fotografando crianças sentadas no colo do Papai Noel embaixo de um enorme pinheiro enfeitado. “Vamos fazer uma foto juntos para celebrar nossa amizade?”. “Tudo bem, mas não estou a fim de sentar no colo de nenhum marmanjo”. “A gente espera terminar, coloco o tripé e fazemos uma de nós dois na cadeira do Papai Noel”.


Guardo essa foto com muito carinho. Pois no momento em que colocamos no disparo automático e saímos correndo para sentar na cadeira do Papai Noel, simplesmente não nos cabia juntos e não íamos sentar um no colo do outro visto que ambos éramos compromissados. Com muito empurra-empurra, nos apertamos e saímos na foto com cara de meninos marotos prensados. Como é bom ser criança! Definitivamente, eu mereço presente de Natal.


Volto ao sofá, como minhas cerejas maduras. Aí passam os filmes comoventes na televisão. Filmes bíblicos, desenhos animados de historinhas tristes que terminam com boas ações, balés clássicos de contos de fadas, filmes antigos que são uma delícia de assistir (Mágico de Oz, A Noviça Rebelde entre outros). Todo mundo fica bonzinho, faz boas ações, distribui caridade. Depois do dia 1º de janeiro, tudo volta ao normal...


Não importa, economizamos o ano inteiro para nos empanturrarmos de comida no final do ano e tentar comer num dia só tudo o que não conseguimos nos 363 dias anteriores (conte o reveillon com sua exuberante ceia).


E eu que sou boba, aproveitarei minhas deliciosas frutas vermelhas que só aparecem no final do ano.

4 comentários:

Cheik.al.medah disse...

Tá bom, Hiohoho!! Pra você também!!!

Rafaela Lobato disse...

Ah, amiga! Fiquei com saudades dos nossos natais marotos juntas!

Criska disse...

A Gleysy me disse a mesma coisa no msn. Mas, foram mesmo ótimos natais! Seus pratos maravilhosos faziam muito sucesso. Aprendi muitas receitas com vc, Fá!

andré disse...

Natal... eu fico refletindo sobre como uma data comemorativa de salvação foi corrompida pelo capitalismo...
Uma época aonde apenas desviamos nos unir e cantar, ceiar, sei la... é um simples sinônimo de va as compras, 8x sem juros e comece a pagar depois do carnaval, rs... outra data crista deturpada, só pra esclarecer o carnaval significa festa da carne era amplamente praticado pelos católicos como uma "forra" digamos assim antes da quaresma... bem voltando ao natal é duro dizer isto mas é verdade... quer um exemplo bom disto, sabem porque o papai noel é vermelho e branco? ate 1881 a Coca-Cola fez uma campanha publicitária e colocou o bom velhinho vestindo as cores do refrigerante (branco e vermelho) antes ele vestia marrom...
Gostaria de ser nostálgico voltar os valores reais de renascimento e alegria... mas seria querer demais... bem eu penso assim sobre o natal... e pelo menos ate 21/12/2012 continuarei pensando... rs...