quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Perfumes IV – Anotações em um Café

Sentei-me numa cafeteria. Mesa posta no corredor do shopping. Logo o aroma do café recendeu ao meu redor. Mas não foi pelo café que me acomodei ali. Foi por um agradável frescor parecido com lírios do brejo. Um floral cítrico e marcante que me atraiu até aquela mesa. Fui seduzida por um perfume tão feminino, fresco e agreste que me fez pensar em aguapés, cabana na beira de um córrego, musgos úmidos numa árvore frondosa, mato.

Eu fui pega de surpresa! Enquanto passeava pelas lojas, senti aquele agradável perfume no ar e saí em busca da fonte. De início, achei que fosse a essência de alecrim da Le Lis Blanc, delicada e ideal para perfumar lençóis de cama, mas me surpreendi ao encontrar uma loja de moda feminina com um perfume próprio que leva o mesmo nome da grife.


Meu nariz me guiou até a mesa EXATAMENTE em frente a uma boutique: Cori.

CORI, de Cori:
Fragância: Floral Frutado
Cabeça: bergamota e neroli.
Coração: rosa, jasmim e violeta.
Fundo: notas secas de chá e notas quentes de noz moscada e pimenta negra.

O frescor me fez pensar no campo. “Associamos cheiros a momentos, pessoas, objetos”, disse-me uma consultora de perfumes no início dessa aventura.


Provo do café sem açúcar para espanto da atendente. “Mas tem certeza que você quer sem açúcar?”. É engraçado como há coisas em que o cheiro é melhor do que o sabor. Café sem açúcar é uma delas. Nectarina tipo exportação é outra. Flor de paineira também. Eu provei uma flor de paineira. Não é bom.

Mas o café amargo me ajuda a “limpar os ares” da miscelânea de odores, principalmente por me fazer espirrar umas cinco vezes. Então, percebi a bergamota no ar...

Entro na loja, peço para provar. A nota de cabeça é floral e rapidamente se dissolve. A primeira impressão do perfume é romantismo. Em seguida, o coração é cítrico trazendo frescor e leveza, a sensação de liberdade e integração com a natureza. Mas a nota de fundo é tão exótica e quente que traduz aconchego.

O perfume tem três momentos: o perfume da manhã, o frescor do dia e o calor de um fogão à lenha no fim de tarde.

Volto à mesa, mais um gole do café frio abandonado, mais uns três espirros (ainda vou morrer pelas narinas). Pago a conta e saio decidida a me engajar em dois novos desafios: Lily Essence, da O Boticário, e Chloé Narcisse, de Karl Lagerfeld.

Achar uma loja do Boticário num shopping é fácil. Difícil foi gostar do Lily...

***


O Lily Essence me enganou. A propaganda é tão boa que me fez acreditar em algo realmente fantástico de tão especial, por resgatar o método enfleurage:

“A enfleurage consiste em usar uma espécie de solvente vegetal para segurar o óleo. No caso de flores frescas, por exemplo, as pétalas são colocadas sobre uma placa de vidro com gordura, que vai absorver o óleo das flores, que são substituídas por flores novas todos os dias, até que a concentração certa seja obtida. Depois de alguns dias, a gordura é filtrada e destilada. O concentrado oleoso que resulta desse processo é misturado ao álcool e novamente destilado. O produto final é o óleo das flores.”

Fonte: Jardim de Flores


A propaganda do Lily é linda, charmosa, evoca o clássico. E como o lírio Stargazer é um dos meus preferidos (depois do Casablanca), fui correndo experimentar o perfume nessa oportunidade inspiradora.

LILY ESSENCE, de O Boticário.
Fragrância: Floral Oriental
Cabeça: mandarina, pêra, pêssego, damasco, pimenta-rosa.
Coração: osmanthus, gardênia, jasmim, rosa, violeta, lírio, íris, narciso.
Fundo: sândalo, musgo, musk, vanilla, patchouli, vetiver, âmbar.


A misturança de frutais logo na cabeça do perfume ficou parecida com o lírio, mas evapora tão rápido que dá para sentir o álcool ardendo nas narinas (quase espirrei de novo). O coração deu uma impressão amadeirada, fixa pouco. Mas no fundo veio o doce das especiarias com toque floral. Não dá para comparar com os perfumes importados, pois lembra demais hidratante corporal pós-praia. E dos mais baratos (alguns vão me fuzilar por isso). É um perfume de verão.

Me fez também pensar em três momentos: Chegar da praia toda ardida e esfolada, tomar um banho frio e ficar vermelha que nem pimentão, e se besuntar em hidratante para sobreviver aos próximos dias.


Quase desanimei em chegar ao Chloé. Mas, tomei coragem e fui.

****

Mas o Chloé Narcisse... Ah, o Chloé! O doce, muito doce Chloé. Esse é para amar ou odiar. Pergunto-me porque a primeira impressão que temos de algo doce é que ele é tão enjoativo que nos repugna para descartamos logo de primeira?


CHLOÉ NARCISSE, de Karl Lagerfeld.
Fragância: Floral Oriental.
Cabeça: ameixa, flor de laranjeira, damasco fresco e calêndula.
Coração: jasmim, rosa, narciso e especiarias exóticas.
Fundo: sândalo, baunilha, musgo, bálsamo e tolú.


Foi com ele que descobri a sutileza dos perfumes. Tudo tem hora e quantidade certa. Ele é um perfume para o amor. Rosas e baunilha para seduzir. Ou como diriam os mais desbocados: perfume de puta.

Mas quem nunca ousou na cama não sabe o que é sedução, ser envolvida além do corpo, uma volta pelos sentidos como num baile de prazeres. Baunilha; como diriam alguns homens, é para comer. É isso o que ele evoca: desejo de devoração.

Na primeira impressão me lembrou benjoim. Achei devocional, forte, algo para templos religiosos. Tive que voltar no dia seguinte para desfazer essa idéia. Mas, explico. A vendedora quase despejou o vidro de perfume em mim, achei que iria sufocar com o impacto, quase gritei “sai, saravá!”.

Então, no dia seguinte, e com a medida certa (um sutil borrifo), alguns minutos de espera e uma fungada no pote de café; descobri algo maravilhoso!

O Chloé com tantas misturas consegue ser homogêneo. Percebe-se um buquê floral com baunilha e só. Aí a imaginação flui... Dá para ir de um bolo quentinho com chá a uma moça corada, juvenil, com flores nas mãos. Então vem o calor e o prazer.

É isso. Perfume para sedução. Exótico, misterioso, adociado. Reservado para noites especiais, eu diria. Para dias frios, para aquecer debaixo de cobertores, blusas e cachecóis.


Como diz a descrição do próprio perfume:

Uma fragrância inspirada nas confidências românticas do diário de Narcisse, uma mulher envolvida em uma história de amor que passa de terna a intensamente sensual. Floral oriental, para mulheres sedutoras, provocantes e misteriosas. Suas notas combinam ameixa, flor de laranjeira, damasco, jasmim, sândalo, musgo e baunilha.”

Fonte: Macherie

Para mim, está mais para os contos eróticos de Anaïs Nin. Perfume, corpos, suor, sensações e prazeres.

Uma pena que a casa Lagerfeld não fabricará mais esse perfume vintage.



*Fim das anotações no Café.



Índice:

Perfumes I - Percorrendo o mundo virtual dos Aromas

Perfumes II - Seguindo Aromas

Perfumes III - Que tipo de perfume combina com você?

Perfumes IV - Anotações no Café

Perfumes V - O Homem do Trem



Um comentário:

andré disse...

Bem como eu sou bem tosco nao sou muito de usar perfume mas adoro quando eu vou beijar uma mulher e ela esta usando um um perfume que me deixa zonzo, de tao gostoso algo que inspire e marque a pessoa, estou sem uma comania ja tem um tempo, enfim dei de prsente para ela antes de nos separar um kit de creme e loçao da vitoria secret, agora depois de um tempo estava de carona com uma amiga e ela usava um mesmo creme, pedi pra descer e fui embora de onibus, o simples odor mecheu com todas as minhas lembranças...

entao meninas usem perfumes os homens adoram e agradece...

André Hebert