domingo, 1 de março de 2009

Esticando as férias ao máximo!


As férias acabaram!

Se eu não soubesse o que me aguarda nesta segunda-feira no trabalho, eu não ficaria tão triste. E, por isso, estou tentando esticá-las ao máximo.

Passei o domingo na estrada de volta para casa, o dia todo. Chegando em Brasília, no final da tarde, liguei para um amigo, o Hebert.

-O que você vai fazer hoje a noite?

-Nada. Por quê?

-Me pega na rodoviária, vamos tomar um vinho?

Enganei bem, ele me pegou na rodoviária, passamos no shopping para comer e acabamos indo jogar sinuca com outro amigo, o Fred (que eu não via há 8 anos). Nós três no Área 51, um bar especializado em sinuca, ouvindo rock'n roll (década de 60 e 70) e tomando água mineral.

Água mineral, isso mesmo. Final de noite, final de festa, final de semana ou final de férias, tudo termina de forma muito estranha. Eles tinham que voltar dirigindo, eu não. Só que eu não sei jogar sinuca! Sou café-com-leite. Então ficamos ali, eles jogando e eu tentando acertar a bola na caçapa. E ainda lembrando de quando nos conhecemos na viagem mais trash que já fiz na vida e dando notícias dos amigos das antigas.

Fred pergunta: Cadê o Eric?

Eu: Casou.

Fred: ... (segundos de silêncio). É mesmo?
-E você casou com aquele...?

Eu: não. Ele casou com outra, tem uma filha e já separou.

Fred: ... (cara de espanto). É mesmo?

Eu: casei e separei, mas com outro. Você não conheceu.

A vida continua. Bem diferente daquela que tínhamos há oito anos quando eu, Eric e Du saímos de Palmas (TO) num feriadão de 7 de setembro rumo a Chapada dos Veadeiros (GO) sem ter a mínima idéia do que nos esperava pela frente.

Três mochilas cargueiros nas costas, uns 50 metros de corda para rapel, mosquetões, cadeirinhas, fitas, uma barraca, fogareiro portátil, saco de dormir, um pouco de granola, café, duas mudas de roupas e uma única toalha de banho para os três. Ou era isso ou os mosquetões. Conforto ou aventura? A vida é realmente uma questão de escolhas.

Nossa viagem já começou com o motorista esquecendo de parar em Alto Paraíso (GO). Ás 6h da manhã fomos largados na rodovia, a 80 km da cidade, para pegar carona de volta. Acabamos chegando em Alto Paraíso e, no embalo, na Vila São Jorge, portal de entrada do Parque Estadual da Chapada dos Veadeiros.

Foi no acampamento do velho Joe, em São Jorge, que conhecemos a família Martins. Eram 4 irmãos, 1 irmã, 1 namorada e 2 amigos de infância. O Fred um dos irmãos; o Hebert, o amigo de infância. A família Martins era o que havia de mais decente no camping, achamos melhor nos juntar a eles para nos protegermos. Nunca vi tanto porra-louca junto num mesmo local, São Jorge não tem policiamento. O povo faz a lei, linchamento. E éramos jovens de cidade pacata, eu estava chocada com a quantidade de brasilienses malucos no local.

Mas, foi uma das melhores viagens que já fiz. Tudo era novidade. Ninguém conhecia pessoas de Palmas, a capital do Estado mais novo da Federação, então ganhávamos carona para todo canto. A única refeição decente era o almoço, comíamos cachorro quente e espetinho à noite. O Eric aprendeu a beber catuaba selvagem com os Martins. O Du acordava cedo todo dia e nos arrastava para mais uma trilha. Conhecemos cachoeiras, águas termais, lojinhas e fizemos muitas bolhas nos pés.

A volta pra casa... essa foi de lascar. Compramos nossa passagem com antecedência, mas houve overbook e, depois de muita discussão, os motoristas acabaram cedendo duas poltronas para nos revezarmos durante a madrugada.

Mas, com os Martins foi pior. O ônibus de excusão que eles pagaram antecipado foi embora sem levar ninguém. Eles ficaram três dias acampados na varanda de um bar esperando dinheiro para voltar para casa.

Depois de oito anos quem é que tem disposição para uma aventura dessa de novo? Ainda bem que fiz isso antes dos 30, pois agora eu quero é cama e conforto. Mas, imagine lembrar de tudo isso tomando água mineral? Se eu tivesse tomado vinho, esse post não teria sido saído.

Definitivamente, já não sou mais a mesma.

3 comentários:

André Hebert disse...

É Nóis rs... A sinuca foi Mara!!! pena que regada a agua mineral é duris... mas com a Policia dando em cima da gente por conta da Lei Seca nao rola...
Mas foi legal, o melhor ainda vai ser em setembro de lei ir pra chapada acampar no antigo camping do velho Joe, que hoje foi comprado por outra pessoa, e ta maior rs... tomar catuaba e dormir bêbado na barraca (por que sóbrio, ta ficando difícil, sabe é a idade... vai chegando aos 30 e alguns rs... ja viu) quem sabe uma pinga com Arnica... e uma sinuquinha la no bar do pele disputadissima... Mas bem só o tempo dirá, mas como bem sabemos o tempo esta acabando sigam o link e descubram!!!! ha ha ha...

http://www.youtube.com/watch?v=Twtq6QT7vhA

Anônimo disse...

Olá! Jogar snooker é muito bom. É um jogo que relaxa muito...pelo menos para mim, é. beijos

janaina disse...

você é realmente uma mulher VIAJADA. Continue contando suas aventuras, pois eu já te disse, elas valem um livro. um abraço,Jana.