segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

E o Uerê vôou...



Foi meu primeiro vôo fora de um avião.

Sentada em uma cadeirinha (selete), presa ao piloto e ambos suspensos a uma vela de parapente, ligamos o motor. A capacidade é de 16 litros, autonomia de 5 horas, mas o combustível nos daria apenas 20 minutos de alegria. Do alto da Serra do Lajeado, em Palmas (TO), fiz meu primeiro vôo radical num paramotor, parapente com motor.

Levei dois anos para tomar coragem e uma semana enchendo o saco do instrutor de vôo, Eli Ramos, 37 anos, arquiteto e amigo de longa data. O cara quebrou o recorde de altitude com paramotor, chegou a 4.416 metros e ficou em 2º lugar num desses Campeonatos de Manobras (o cara mais alto na foto). Eu queria voar enquanto todo mundo morria de medo das manobras do "louco" Eli.

Mas, ao contrário da mulherada eu queria experimentar a sensação dessas manobras no ar.

A senha era "Uerê vai voar", frase do personagem indígena Uerê, interpretado pelo então ator mirim, Pedro Gabriel, na novela global O Rei do Gado, em 1996. O indiozinho repetia essa frase constantemente quando soube que ia viajar de avião pela primeira vez.

Era só o Eli atender o celular para eu dizer "Uerê vai voaaaaaar!". Mas, havia um grande problema, o equipamento duplo, que permite duas pessoas voarem juntas, estava na revisão. E eu ia embora na segunda-feira, ora pois!

Mas o equipamento chegou no sábado e o Eli me deu apenas 15 minutos para ficar pronta, chamar a Rafaela, arrumar menino (o Ian, filho de 6 anos da minha anfitriã) e uma mochila para sair correndo. Nem deu tempo de pensar em desistir, só fui cair na realidade quando cheguei lá em cima e olhei para a beira do precipício. Será que enlouqueci também?

De um monte de instruções a única coisa que realmente entendi foi "Quando eu disser corre, você corre". E não deu tempo de mais nada, pois meus pés saíram do chão e quando percebi já estava no ar voando com os periquitos.



(Vôo de parapente em Palmas (TO), Serra do Lajeado. Foto: Tairone Carneiro)


"Não parece que você está sonhando?", o Eli dizia sintetizando tudo. Eu, extasiada, só ria, gritava e dizia "De novo!". Duas manobras em espiral, o paramotor desce rodando a mais de mil metros do chão. Adrenalina, adrenalina, adrenalina!!! A sensação de queda é aliviada pela aceleração centrípeta. Me senti o leite na leiteira, sem tampa, que a gente girava só para não vê-lo cair.

Medo de cair de avião? Não dá tempo de pensar em nada, é muito rápido. Acho que também não deve dar tempo de sentir dor.

De lá de cima dá para ver as revoadas dos pássaros (que eu queria seguir), as grotas de água no paredão, as trilhas da Serra, os mirantes onde terminávamos as baladas na adolescência e Palmas plena na imensidão do Lago da UHE de Lajeado - Luís Eduardo Magalhães.

Lá da rampa de decolagem da Serra, só se via o Barbosa monitorando o vôo, a Rafaela filmando tudo no celular e o Ian jogando pedra, tentando acertar a gente...

O vídeo da minha decolagem (o grito é meu):



Eu posei, como disse o Eli, com a desenvoltura de uma jaca madura. Botei o pé no chão e ploft! E Como eu estava presa a ele, e o motor nele, viramos uma massa só. Só faltou a vela cair por cima para ficar mais bonito. Os quero-queros (ave) é que não gostaram muito, pousamos perto do ninho deles. Alguém já levou um rasante de um pássaro?

E por duas noite não consegui dormir direito, fiquei sonhando que estava no ar. Passando por cima das árvores, sentindo o vento, achando que era um passarinho num sonho.

Valeu, Eli! Foi bom demais!

3 comentários:

André Hebert disse...

MUITO BEM SENHORITA INDÍGENA NIPÔNICA, BEM CREIO REALMENTE QUE PARA VOCÊ FOI UMA TREMENDA DECISÃO ENTRAR NESSA, DEPOIS DE TE-LA VISTO NA CHAPADA EM 2002, QUE SÓ SALTOU DA PEDRA DO CANYON APÓS UM SINGELO CORO DE UMAS 40 PESSOAS A INCENTIVOU: PULA!!! PULA!!! PULA!!! E VOCÊ SAIU DA AGUA COM UMA CARA DE RAIVA E VERGONHA FOI CÔMICO, RS...
BEM DEVE SER REALMENTE UMA EXPERIÊNCIA PARA TODA A VIDA, POREM ESTA FORA DOS MEUS PLANOS, SE FOR PARA VOAR ( O QUE NUNCA FIZ, EXCETO POR QUEDAS DE ARVORES ) SERÁ PILOTANDO UM HELICÓPTERO!!! SONHOS SÃO POSSÍVEIS É SÓ VOCÊ ACREDITAR!!!

Criska disse...

Eu sei que vc quer parecer mais novo, mas aquilo foi no ano de 2000 e não em 2002...rs

Glês Nascimento disse...

Uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu